Teste do Pezinho - Uma picadinha essencial para a saúde dos bebês - Clínica Mon Petit
pediatria, bebês, clínica pediátrica porto alegre, pediatria, neonatal, parto, acompanhamento de parto
16459
post-template-default,single,single-post,postid-16459,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode-theme-ver-14.1,qode-theme-bridge,disabled_footer_top,wpb-js-composer js-comp-ver-5.5.2,vc_responsive

Teste do Pezinho – Uma picadinha essencial para a saúde dos bebês

Uma simples picadinha no calcanhar do recém-nascido é protagonista por identificar diversas doenças congênitas que podem ser tratadas desde os primeiros dias após o nascimento.

Estamos falando do famoso Teste do Pezinho (ou triagem neonatal), exame grátis e obrigatório por lei em todos os recém-nascidos entre o 3º e 5º dia de vida e que é feito nessa região do corpo por ser bastante irrigada, facilitando sua realização.

É essencial a realização do Teste do Pezinho uma vez que permite identificar bebês com alta probabilidade de apresentar algumas doenças metabólicas, genéticas e/ou infecciosas que podem causar sérios danos à saúde e sequelas por toda a vida. Além disso, as doenças identificadas pelo exame não apresentam sintomas ao nascimento e, se não forem tratadas cedo, podem causar sérios prejuízos para a qualidade de vida da criança.

Dentre as principais doenças identificadas pelo teste – são 6 do exame comum e até 48 com o exame ampliado – as mais comuns são fenilcetonúria e hipotireoidismo congênito. A primeira, faz com que o sistema digestório do bebê não digira a fenilalanina, uma proteína presente em alimentos como ovos e carne; a segunda é uma doença na qual a tireoide do bebê não consegue produzir quantidades normais de hormônios, podendo prejudicar o crescimento do bebê.

Geralmente o Teste do Pezinho comum é o suficiente, sendo solicitado o ampliado apenas se houver suspeita de contaminação do bebê, caso a mãe ou o pai sejam portadores de alguma destas doenças.