26 de Junho - Dia Internacional de Combate às Drogas - Clínica Mon Petit
pediatria, bebês, clínica pediátrica porto alegre, pediatria, neonatal, parto, acompanhamento de parto
16545
post-template-default,single,single-post,postid-16545,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode-theme-ver-14.1,qode-theme-bridge,disabled_footer_top,wpb-js-composer js-comp-ver-5.5.2,vc_responsive

26 de Junho – Dia Internacional de Combate às Drogas

O dia 26 de junho marca a data escolhida pela Organização das Nações Unidas (ONU) para o Dia Internacional de Combate às Drogas, quando ocorrem ações de conscientização contra o uso de drogas ilícitas. Aproveitamos a ocasião para focarmos na faixa etária de jovens e adolescentes, pois o uso de drogas, além de tantos outros problemas,  os deixa mais vulneráveis às DST´s (doenças sexualmente transmissíveis) e às gravidezes não planejadas.

Segundo pesquisa do Hospital Universitário da Universidade de São Paulo (HU-USP), 25% dos jovens até 17 anos já experimentaram o tabaco, 20% a maconha, 6% o crack e 60% o álcool. Outra pesquisa, do IBGE, realizada com alunos do 9º ano do ensino fundamental, apontou que os jovens estão tendo acesso cada vez mais precoce às bebidas alcoólicas e às drogas ilícitas. Mais da metade dos entrevistados (55%, ou 1,44 milhão de alunos) relataram já ter tomado ao menos uma dose de bebida alcoólica. E 9% dos alunos, ou 236,7 mil estudantes, revelaram ter experimentado alguma droga ilícita. Ou seja, o momento da iniciação na bebida alcoólica é um dos pontos mais preocupantes.

Para combater o problema, os pais, mais do que nunca, devem estar perto dos filhos e discutir este assunto em cada oportunidade, pois estudos mostram que

a discussão do assunto das drogas nas famílias consegue a diminuição em torno de 60% a experimentação do álcool, tabaco, maconha e crack por parte dos jovens. O papel da escola também é muito importante principalmente para esclarecer sobre o assunto. E cabe aos pediatras um diálogo aberto e franco com o paciente e seus pais em função do vínculo já construído, sendo destacado o importante papel desse médico nas práticas educativas e preventivas

Com essa força tarefa conjunta, manteremos as drogas, lícitas ou ilícitas, bem longe de nossos adolescentes.